Saudade: a definition

National Mall: otimo lugar pra deitar e pensar na vida

Hora de começar a empacotar as tralhas e tambem de achar um cantinho pras boas lembranças. E sao tantas! “Quando eeeeeeeeeeeeu estou aqui, eu viiiivo esse momeeeento liiiiindoooo… tchururururu…” (Show do Rei in a few weeks, yay!)
Uma listinha singela do que vai ficar bem embrulhadinho no meu coraçao:

– Acordar e nao maldizer o despertador. Pensar: “Oba! Washington Post, here we go!”

–  Sentir aquele frio na barriga bom a cada pauta começada, terminada, publicada. Meu nome impresso NAQUELE jornal, wow!

– Tenleytown, meu bairro lindo, tranquilo, igualzinho ao dos filmes.

– Meu poraozinho cinco estrelas.

– O grilo maldito que nao me deixava dormir. Tenho certeza de que era o mesmo desgranido todas as noites. I’ll miss you too, fucking bastard!

– Essa cidade apaixonante, que me encanta todos os dias. E eu que adorava dizer que nao gostava de cidade pequena… tsc, tsc.

– Ver o comboio do Barack Obama passando pela rua, as sirenes zunindo, e pensando, mais uma vez, que aqui eh mesmo onde as coisas acontecem.

– Crab cake sandwich with fries – minha tranqueira predileta. Um viva para os caranguejos!

– Happy hours que começam as 15h. Com desconto! What a wonderful world.

– Ter que mostrar a identidade pra provar que ja tinha 21 e poder comprar bebida. E lembrar de como era bom ter apenas 21.

– Andar na rua de noite, sozinha, cheia de coisa na bolsa (dinheiro, documentos, camera, ipad!). E sem medo.

– My dear friend Terry, que sempre tinha um convite, um plano, um lugar diferente pra me mostrar.

– Explicar (e explicar… e explicar… zzzzz) pros gringos onde fica Happy Harbor. Nao, nao moro no Riiiooouuu. Nao, nao moro em Sao Paulo. Moro na linda e amada Porto Alegre. Nunca ouviu falar?! Azar o teu. #RSmelhoremtudo

– Todas as vezes em que tive que levar o computador pro patio pra conseguir uma conexao melhor no Skype (morar em um bunker – ou em um “abrigo antiaereo”, como bem definiu Graciliano Rocha – tem suas desvantagens) e contar as novidades, as aventuras, tudo de bom que me aconteceu nesses seis meses. “ALOOOOU, PAAAAI, TA ME OUVIIINDOOOO?! Vitrooolaaa (alguem ainda lembra dessa propaganda?)!”

– Acordar sem pressa (e sem plantao) no final de semana e ir pro Starbucks tomar cafe e ler o jornal.

– E-mails de gente querida falando de saudade. So sweet.

– Minha secadora de roupas. Como viver uma vida plena sem ela a partir de agora? So penso naquelas duas semanas do agosto porto-alegrense em que a gente pena sem conseguir secar uma unica meia no varal…

– As dezenas de tipos de sucrilhos no mercado. What a sight for sore eyes! Graças a tao encantadora variedade, meus jeans nao fecham desde abril.

– O metro – quando nao ta lotado, nem em obras, nem atrasado. Nem com as escadas rolantes de 160 degraus desativadas.

– A cara de surpresa das pessoas quando eu explicava o que estava fazendo aqui. Hoho!

E o mais importante: a sensaçao unica e maravilhosa e constante que so os sonhos realizados sao capazes de proporcionar. Cheers!

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em American life, Washington DC

3 Respostas para “Saudade: a definition

  1. muzell

    Secadora de roupas!

  2. josabeth

    mas tá na hora de voltar!!! estamos com saudade….pronto,falei!!!

  3. Letícia

    Adorei!!! Fiquei emocionada em ler.
    Experiência incrível, indescritível, para jamais apagar da memória.
    Seja bem vinda ao Rio Grande novamente. Estamos todos com saudades.
    Beijo grande…
    Fica a dica: compre uma secadora de roupas para o próximo inverno…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s